A Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro

Criação e Evolução Estatutária


A Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro de Lisboa (CTMAD) foi fundada por alvará régio, emanado do Governo Civil, em 23 de Setembro de 1905, como associação de recreio com a designação de “Clube Transmontano”.

Em 5 de Outubro de 1931, foi atribuída à CTMAD a comenda da “Ordem de Benemerência”.

Por alvará de 16 de Janeiro de 1960, foram aprovados novos estatutos passando a designar-se por Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Em 1990, é reconhecida como Pessoa Colectiva de Utilidade Pública (DR Nº117, II Série, 22/05/1990).

Em 2001, os Estatutos foram objecto de uma nova redacção (DR III Série, 13/01/2001).

Em 21 de Abril de 2005, o Presidente da República conferiu-lhe o título de Membro Honorário da Ordem do Infante Dom Henrique.

Em 20 de Julho de 2005, a Câmara Municipal de Lisboa concedeu-lhe a Medalha de Honra da Cidade.

Medalhas (2)

Natureza e âmbito de Actividade da CTMAD

A Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro é uma Associação Regionalista sem fins lucrativos.

Nos termos regulamentares usa bandeira, estandarte e selo e adoptou por divisa

“ A Bem da Gente d’Aquém e d’Além Marão “.

Nos termos dos estatutos a CTMAD prossegue a defesa e promoção dos interesses da região natural de Trás-os-Montes e Alto Douro.

São ainda objectivos:

  • A defesa dos interesses da Região junto dos Órgãos de Soberania, da Administração Central, Regional e Local, tendo em vista o seu desenvolvimento económico, social e cultural;
  • A promoção do Património Natural, Histórico e Cultural de Trás-os-Montes e Alto Douro com vista à sua valorização e desenvolvimento;
  • A cooperação com os Organismos da Administração Central, Regional e Local, celebrando protocolos e / ou contratos para obter os fins de interesse geral que representa;
  •  A aproximação entre a comunidade transmontano-duriense residente em Lisboa, em particular entre os seus associados;
  • O desenvolvimento, em benefício dos associados, de actividades culturais e recreativas;
  • A prestação de assistência e apoio aos associados em quaisquer situações de necessidade;
  • A intensificação e desenvolvimento das relações com as associações regionalistas sediadas em Lisboa e com todas as Casas de Trás-os-Montes e Alto Douro espalhadas pelo território nacional e pelo resto do mundo;
  • A exploração da actividade de restauração, a criação de um Centro de Artesanato Regional com escola e comercialização do mesmo, bem como o exercício de qualquer outra actividade que por lei seja permitida e se verifique necessária à subsistência financeira da CTMAD.
  • Em termos geográficos, podem ser sócios da CTMAD os naturais de todos os concelhos de Vila Real e Bragança e dos seguintes concelhos da margem Sul do Rio Douro: Lamego, Tarouca, Armamar, Tabuaço e S. João da Pesqueira (do distrito de Viseu) e Vila Nova de Foz Côa, Meda e Figueira de Castelo Rodrigo (do distrito da Guarda).

Mapa TMAD

Divulgação permanente da região e dos seus valores

A CTMAD promove e divulga os produtos e os valores culturais trasmontanodurienses, organizando visitas à Região e trazendo produtores e artistas transmontano-durienses a Lisboa.

A CTMAD realiza anualmente em Lisboa a Festa do Folar e do Azeite e o Magusto.

Sedes da CTMAD

A primeira sede, à data da fundação, ficava situada na Rua Capelo, nº5, onde actualmente está a Rádio Renascença. Em 1907, passou para a Rua Nova do Almada, nº109-1º, onde se manteve 5 anos passando depois para o Largo Camões, nº6 –2º . De 1916 a 1929, sob a direcção de uma Comissão Administrativa, esteve localizada na Travessa da Glória, nº22 A – 1º, e já com a designação de Grémio, a sede esteve dois anos na Rua do Telhal, 71 – 2ºDº, transferindo-se, em 1931, para a Rua do Mundo nº20 – 2º, que viria a chamar-se Rua da Misericórdia. Em 1934, a sede ocupava o 2º andar do Palácio Regaleira, Largo de S. Domingos nº14 C e 14 D, aparecendo localizada na Avenida Elias Garcia, nº135, no ano de 1939. No ano seguinte, em 1940, regressa à Rua da Misericórdia, nº20 – 2º. Em 1991, a sede passou para o 3º andar do edifício nº50, no Campo Pequeno, onde presentemente se encontra.

A actual sede é propriedade da CTMAD, tem uma área total da ordem dos 150 m2, distribuída da seguinte forma: salão / biblioteca para reuniões, sala com hall a funcionar como secretaria, corredor, outra sala destinada a reuniões e convívios com maior número de assistentes, cozinha, duas casas de banho, uma sala / bar e uma marquise / arrecadação.

Além da área ser muito limitada e os espaços disponíveis pouco funcionais para o bom desempenho das suas actividades normais, a sede da CTMAD apresenta outro grande inconveniente, que é o facto de estar localizada num terceiro andar sem elevador.

A nova sede da CTMAD será constituída por restaurante, lojas de artesanato e produtos regionais, salão polivalente para espectáculos, exposições e mostras, gabinetes de apoio aos municípios transmontanodurienses e às actividades económicas regionais, bem como um auditório ao ar livre e um espaço para jogos tradicionais.

Anúncios